Artigo - Ele Carregou a Nossa Culpa -

- Ele Carregou a Nossa Culpa -

26/01/2018 às 07h39, por Ricardo Macieira

Visto por 350 pessoa(s)

"Mas Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e ESMAGADO por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos sarados. ...mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniqüidade DE TODOS NÓS."(Isaías, 53:5 e 6b)

É sempre um grande desafio tentar discorrer sobre esse grande e transcendente mistério que foi o Sacrifício Propiciatório de Cristo em favor dos crentes. A morte expiatória de Jesus, além de ser o fato mais extraordinário que já ocorreu em toda a história da humanidade é também um maravilhoso mistério, e quando tentamos extrair do nosso idioma o máximo da expressão linguística que este dispõe, afim de almejarmos ao menos tocar a aba das vestes do Senhor e contemplar, mesmo que de relance, algo dessa Sua Inefável Glória revelada na Cruz, é como se nos achegássemos apenas ao pé de uma gigantesca montanha cujo topo ultrapassa infinitamente o alcance da nossa limitada visão.

É simplesmente inesgotável o assunto que emana desse maravilhoso ato Divino de Redenção do homem e que fora executado na Cruz do Calvário há quase dois mil anos. É para nós simplesmente inatingível a plena compreensão da ideia de que o próprio Deus, na Pessoa do Filho encarnado, tenha recebido sobre Si 'TODOS' os pecados do Seu povo e sem que com isso tenha sido maculada a Sua infinita Santidade. Ter sido nosso Senhor exposto a tamanha contradição, sendo Ele perfeitamente Puro e nunca tendo em momento algum em toda a eternidade se afastado de Seu Amado Pai, sofrer tamanha agonia para o nosso bem. Essa foi a maior prova de amor de todos os tempos.

É assombroso imaginar que o preço da nossa Salvação tenha incluído o fato de que fora necessário que uma das três Pessoas da Santíssima Trindade teve de ser privada, ainda que voluntariamente, de Sua Glória Eterna afim de nos redimir. O IMPOSSÍVEL se concretizou no exato momento em que o MILAGRE da imputação dos nossos pecados ocorria, bem como TODA a indescritível agonia de ter-Se tornado alvo de TODA a inimaginável Fúria da Santa Ira de Deus Pai contra a própria natureza humana de nosso Senhor naquele madeiro, tendo sido esta frágil natureza preservada da total aniquilação em razão dessa outra natureza Divina ali também presente, sustentando-a e capacitando-a a suportar TODO o Castigo até à plena dissipação de TODA a Ira Divina contra TODOS os nossos pecados. Tudo isso fora do alcance dos olhos dos que ali testemunhavam os aspectos mais superficiais desse complexo sofrimento do Senhor.

O Sangue que Cristo derramou desde o Getsêmani, passando pelo Gábata e por fim no Gólgota, representa todo o incalculável e altíssimo preço pago pela Salvação do homem, tanto da CONDENAÇÃO do pecado, quanto a favor da operação santificadora na vida de cada redimido e que redunda na libertação progressiva do poder do pecado, através do crescente processo de SANTIFICAÇÃO já presente na vida do crente neste tempo e que por fim levará ao milagre final da Redenção do nosso frágil corpo, na sua futura GLORIFICAÇÃO em razão da volta de Cristo! Essa é a Grande Salvação de Deus para a humanidade. Ao Senhor seja dada toda a Glória, Honra e Ações de Graça pelos séculos dos séculos, eternamente! Amém!

"Ó profundidade das riquezas, tanto da Sabedoria, como da Ciência de Deus! Quão insondáveis são OS SEUS JUÍZOS, e quão inescrutáveis os Seus Caminhos!"(Romanos, 11:33)
Artigos
Kadoshi Web Rádio
Subir