Artigo - O Âmago do Evangelho de Cristo -

- O Âmago do Evangelho de Cristo -

19/09/2017 às 11h51, por Ricardo Macieira

Visto por 444 pessoa(s)

"Porque TODOS pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela Sua Graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs como propiciação, pela fé, no Seu sangue, para demonstração da Sua Justiça por ter Ele na Sua paciência, deixado de lado os delitos outrora cometidos; para demonstração da Sua Justiça neste tempo presente, para que Ele seja Justo e também justificador daquele que tem fé em Jesus."(Romanos, 3:23-26)

Estes quatro versos revelam o CERNE do Evangelho de Deus, pois carregam em si a maravilhosa revelação de detalhes do Plano Eterno de Deus para a Salvação dos eleitos. Aquilo que mais tarde no capítulo cinco desta mesma carta fora explicado como sendo a culpa e a condenação transmitidos a todos os seres humanos pela transgressão do nosso primeiro patriarca Adão, desde agora é demonstrado de maneira surpreendente e explícita. É declarado que TODOS os seres humanos JÁ NASCEM com a culpa e a condenação do Pecado Original, e que por Deus ser infinitamente Santo e Justo, Ele teve de privar o homem da Sua Glória Santa.

Uma das coisas mais impressionantes neste caso é que essa verdade não é tratada aqui como alguma proposta a ser submetida ao crivo humano, mas sim como uma terrível realidade a ser acatada pelo pecador sob pena de condenação eterna. É algo que está além da nossa plena compreensão neste momento, mas que constitui a base do correto entendimento do Plano de Deus para a Salvação dos Seus eleitos, ou seja, somente com o preliminar conhecimento de sua própria condição radicalmente depravada e das implicações punitivas eternas dessa sua rebelião latente é que o pecador sentirá o peso de sua culpa e poderá buscar refúgio na Graça a ele oferecida em Cristo Jesus PELA FÉ!

E é justamente essa Maravilhosa Graça que foi conquistada graças ao pleno êxito de uma PERFEITA transação penal que só fora tornada possível graças ao colossal esforço da própria divindade, ao por em prática o Seu Plano eterno de Redenção, através de um sacrifício substitutivo de proporções eternas e que só poderia ser efetivado por alguém de valor infinito e que fosse capaz de suportar e absorver a soma de todos os castigos eternos de todos os salvos de todas as eras. Esse é o resultado de toda a Ira Eterna de Deus, tolerada, suportada e represada até então, pela LONGANIMIDADE do Pai, em razão do prévio acordo entre as Pessoas da Santa Trindade desde antes da fundação do mundo.

O até então Mistério divino, agora é revelado na encarnação e ministério do Filho Eterno de Deus, sendo o Plano consumador diante de todos os seres angelicais na Cruz do Calvário, e tendo sido o Sangue de Cristo, a prova física de Deus aos homens, sobre a consumação de realidades transcendentes que envolveram tanto a morte quanto a ressurreição do Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo.

Dessa forma, através da morte de Cristo, a própria Divindade Trina, num único ato de proporções infinitas, exerceu publicamente tanto a Sua Justiça quanto a Sua Misericórdia, uma vez que no Sacrifício de Cristo, Deus vindicou TODOS os Seus Santos atributos, por meio de uma demonstração pública de Sua retidão moral e poder perante os anjos e os homens, e que continuará sendo motivo de consideração para todos nós por toda a eternidade. Amém!

"Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor? ou quem se fez Seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a Ele, para que lhe seja recompensado? Porque dEle, e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; Glória, pois, a Ele eternamente. Amém."(Romanos, 11:34-36)
Artigos
Kadoshi Web Rádio
Subir