Reflexão Um Natal de decisões

Um Natal de decisões

24/12/2016 às 17h24, por Pr. Fernando Bochio

Visto por 324 pessoa(s)

O Natal está em todos os lugares nesses dias. Para onde olhamos, vemos as cores, sentimos os aromas, ouvimos as canções. Mas...

Há uma preocupação muito grande dos meios de comunicação de tentar desvincular o Natal da religião. E isso é impossível, porque a comemoração do Natal só existe porque Jesus nasceu.  É uma festa religiosa, na qual nós comemoramos o aniversário de Jesus.

Jesus não teria nascido se não houvesse uma Maria, se não houvesse um José, se não houvesse uma família. Jesus encontrou um “nós” aqui, uma família que O recebeu e O aceitou, numa sequência de decisões importantes.

Nós precisamos pensar nas decisões que tomamos na nossa vida. E o Natal nos ajuda a tomar decisões, pois nos ajuda a pensarmos no que realmente é importante para nós.

Jesus nasceu dentro de um contexto, no meio de decisões, entre pessoas, e é esse contexto que nós queremos entender um pouquinho.

Leia Mateus, capítulo 2, a partir do versículo 18.

O primeiro fato que eu noto nessa passagem é que Jesus nasceu porque Deus escolheu Maria e José.  

Maria provavelmente tinha uns 15, não mais do que 16 anos. Era uma adolescente, pois era muito comum naquela época se dar em casamento nesse período de 13 a 16 anos. José era um garoto na faixa de 17, no máximo 21 anos.

Eles tiveram que tomar uma decisão importante na vida deles. Por mais simples que parecesse, era uma decisão ousada, que fez toda uma diferença para que Jesus nascesse.

Maria podia muito bem, nessas circunstâncias, ter todo constrangimento, vergonha. Uma menina que nunca havia tido relacionamento sexual, estava prometida em casamento a José, encontrou-se numa circunstância tão difícil como essa.

E José, envolto em uma situação delicada, de acreditar que o anjo estava falando com ele, aceitar essa palavra, e receber Maria como sua esposa.

Essa não era uma situação natural. Mas foi uma situação importante de decisões que ambos precisavam tomar.

E de uma forma extremamente discreta e humilde, ambos se dão em casamento, para que esse plano pudesse ocorrer.

Ao assumirem isso, eles estavam recebendo Jesus Cristo, o Emanuel, o Deus conosco. Eles foram o canal de Deus para que todos nós pudéssemos ser presenteados no Natal com a presença de Jesus.

Mas o que chama atenção é a decisão, o posicionamento em cima daquilo que Deus estava colocando na vida deles.

Aquele jovem poderia falar: “Não, vou escolher outra moça, vou fazer uma outra coisa da minha vida”.  Ele até pensou em desistir secretamente, para não causar escândalo. Isso mostra a delicadeza daquele moço.

Podemos ver o cuidado de José para com Maria, o cuidado de José para com a Palavra de Deus e a vontade de Deus. Ele recebeu uma Palavra de Deus para a vida dele, como você recebe uma Palavra de Deus para sua vida. José recebeu e assumiu, tomou uma decisão.  

Maria e José entenderam o plano que Deus tinha para a vida deles e o obedeceram.

Como são importantes as decisões que nós temos que tomar na nossa vida! Decisões espirituais, que podem definir muitas outras coisas. Podem definir toda nossa vida, todo nosso futuro e o de gerações futuras. E não importa a nossa idade.

Eu não creio que foi fácil. Mas eu vejo uma menina corajosa, um jovem corajoso. Como nos falta isso! Como nos faltam meninas corajosas para dizer não às coisas erradas!  Como nos faltam meninos corajosos para dizer sim às coisas certas!  Como nos faltam jovens que tomem decisões espirituais em suas vidas.

Muitos adultos precisariam tomar uma decisão nesse Natal, em relação à sua vida espiritual, em relação a Jesus.

Vamos continuar vendo a história do Natal.

Poucas pessoas estavam esperando o Natal. Poucos estavam atentos ao fato de que o Natal iria acontecer. Os magos eram um dos poucos que realmente tinham esse conhecimento. E eles foram seguindo um plano para poder entender esses fatos, através das estrelas, das orientações, através das Escrituras.

Eles foram ao encontro de Jesus. Mas passaram por Jerusalém, onde o rei Herodes estava. E quando o rei descobriu o que os magos estavam fazendo, ele se preocupou: Um outro rei, um outro messias? O rei se informou e viu que isso era uma profecia, que o Natal iria acontecer. E esse não era o seu desejo.

Herodes mandou os magos lhe informarem quando encontrassem Jesus, informando a localização exata da criança. Mas eles não fizeram isso. Herodes ficou muito bravo. Seu plano era acabar com o Natal, acabar com Jesus Cristo.

Parece que nós temos vários planos na sociedade, na mídia, no mercado, de acabar com o Natal. De eliminar o sentido do Natal.  

Quando Herodes percebeu que havia sido enganado pelos magos, ordenou que matassem todos os meninos de até 2 anos de idade, em Belém e nas proximidades, de acordo com a informação que havia obtido dos magos.

Mas José tem uma revelação. O anjo o procura, e lhe dá uma orientação. Para que José saísse dali e levasse o menino para o Egito. De novo, aquele jovem precisava tomar uma decisão.

José era um moço, um homem casado, agora com vida própria, esposa e filho. Ele tinha uma profissão, mas precisava proteger aquela criança.

Quantos jovens teriam coragem de mudar de emprego, de mudar de cidade, ou de fazer alguma coisa diferente do que tinham planejado, porque descobriram qual era a vontade de Deus?

Não foi por uma profissão melhor, para ganhar mais dinheiro. Ele mudou para salvar aquela criança. O Natal não teria todo sentido se aquela criança não fosse salva por José e Maria.  

Quantos pais e mães estão preocupados com a salvação dos seus filhos? Quantas de suas decisões são tomadas para a salvação de seus filhos?

Natal é um bom período para você pensar no seu filho. Na sua filha. E tomar uma decisão séria, sobre o que você vai fazer com essa criança. Se você vai deixar o Natal ser uma realidade de salvação. O Natal é o nascimento de alguém que veio para nos salvar, o messias, o Emanuel. Deus fez um plano para a nossa salvação.

Graças a Deus, José e Maria tiveram a coragem de mudar o seu plano pessoal para a salvação do seu filho.

José e Maria tomaram a decisão de salvar a vida de Jesus. Ficaram um bom tempo no Egito, até que esse rei Herodes veio a falecer. E então, eles tomaram a decisão de voltar do Egito, de novo para sua terra. Eles estavam pensando de novo na criança.

Por que eles queriam voltar para sua terra? Porque ali era sua terra, onde estava o seu templo, sua religião. Eles queriam levar Jesus para a cultura onde ele pudesse aprender, pudesse estar debaixo da cobertura espiritual da sua religião. Que coisa magnífica!

Decisões simples, decisões estratégicas, decisões para a vida. Decisões que precisam ser tomadas.

Então “ele se levantou, tomou o menino e sua mãe foi para a terra de Israel. Mas ao ouvir que Arquelau estava reinando na Judeia, em lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá. Tendo sido avisado em sonho, retirou-se para a região da Galileia, e foi viver uma cidade chamada Nazaré.”

Ele se mudou duas vezes para poder salvar e guardar essa criança. “e cumpriu-se o que fora dito pelos profetas, ele será chamado Nazareno”. Sem saber, aquele jovem estava cumprindo a Palavra de Deus.

Sem ter uma compreensão plena daqueles fatos, esse casal tomou decisões, fazendo o que Deus tinha planejado.  

O Natal não é só uma festa bonita em que o bebezinho nasceu. Foi uma festa de decisões. Decisões acertadas, corretas, decisões que salvaram o mundo. Decisões de um garoto e de uma garota que foram extremamente importantes para cada um de nós.

Que esse Natal possa ser um Natal de decisões na sua vida. Decisões que marcam, que podem levar à salvação.

Você pode tomar a decisão certa. De estar mais próximo de Deus. De andar dentro de sua vontade. De andar obedecendo a Deus. Assim o seu Natal pode ser especial!

Que este seja um tempo abençoado, de alegria e paz para você.

Feliz Natal!
Reflexões
Kadoshi Web Rádio
Subir