Um Invisível e Real

Publicado em 24/11/2022 às 21:36 Por Pr. Edson Sobreira Visto por 222

“Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. Pois nele foram criadas todas as coisas, 

nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer 

potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele”. (Colossenses 1.15,16).


A realidade de tudo que existe foi feito pelo Criador. Ele não foi feito por ninguém. O Criador de todas as 

coisas, também fez, inclusive, você!

Deus, o Ser Eterno, Espírito invisível, que existe, sempre existiu e sempre existirá, apesar de não podermos 

vê-Lo, sendo que Ele foi, Ele é, Ele será, o Eterno, o Todo-Poderoso. Mas, aonde Ele está? “Eu não consigo 

vê-lo!” Você poderá dizer.   Afinal não partimos do pressuposto do que, o que vemos e tocamos é real? E o que 

não vemos e não tocamos é irreal? Mas, por exemplo, o vento que nos toca é invisível, mas real, pois o sentimos. 

Deus é real, não O vemos, mas será que podemos sentir Sua presença? As coisas microscópicas, mesmo tão pequenas, 

invisíveis aos olhos nus, são visíveis, portanto, são reais. Mas aquele que é maior do que todo o universo é 

invisível. No entanto, na nossa concepção perceptível de acordo com os nossos cinco sentidos são reais e as 

coisas que são invisíveis não são reais por não serem perceptíveis aos nossos cinco sentidos? Mas será que não 

seria o contrário? Então, você poderia perguntar, mas como assim pastor? 

Todas as coisas materiais são temporais, elas se acabam, a substância mais sólida que possa existir em todo o 

universo, por mais que seja forte, um dia se acaba, desaparece. Eu poderia constatar que elas são reais por um 

tempo e noutro tempo se tornam irreais?  Mas aprendemos que o que é eterno nunca se acaba. Mas o que é realmente 

eterno? E por que as coisas materiais não são duradouras? Por que nascemos, crescemos, envelhecemos e morremos? 

Por que o ferro enferruja? Por que o leite azeda, e a carne apodrece? E depois tudo desaparece?

Grandes edifícios feitos pelo homem, por mais sólidos que sejam, um dia desaparecerão. As pirâmides do Egito por 

mais que tenha existido por milhares de anos, terminará de existir. Uma tartaruga que pode viver além de um século, 

também morrerá.  

Se existe o que acaba, que é visível e desaparece, que vemos agora e não veremos mais, será que aquilo que não vemos 

e que também existe, mas que nunca se acaba, que nunca desaparece, e existe para sempre, um dia poderá ser visto?  

O Eterno que é invisível, poderá ser visto?

Todas as espécies animadas ou inanimadas neste universo desaparecem, uma estrela que vemos sua luz hoje no céu, 

provavelmente já não existe mais. Onde estão seus avós, bisavós, tataravós? Quem foi seu tataravô? E onde está seu 

cachorro de estimação de sua infância?

O que é eterno é real, o que não é eterno é irreal? No mundo invisível existe o Eterno, mas também no mundo visível 

Ele está. Não podemos ver o invisível agora, mas será que poderemos vê-Lo um dia?  Será que há algo invisível em nós 

mesmos? Todo o nosso corpo físico pode ser visto, mas e o nosso espírito, que existe, ele é visível? Não, ele é invisível. 

Nosso espírito é invisível. Ele existe, ele nasce no mundo invisível, é introduzido no mundo visível dentro de um 

invólucro físico visível, depois o espírito volta para o mundo invisível.

É neste lugar invisível aos nossos olhos que é real, no qual o espírito pode ser livre e sem limitações de tempo e 

espaço, onde quase tudo, ou tudo que há nele sempre existirá. Será que o mundo visível será invadido pelo mundo invisível 

um dia? E como uma simbiose viverão em harmonia eterna? E as coisas materiais que são finitas, se tornarão infinitas? E 

que era invisível aos nossos olhos se tornará visível? Temos informações do Criador que isso acontecerá como deveria 

ser desde o princípio.  Mas enquanto isso não acontece, como nós criaturas finitas com o nosso espírito infinito devemos viver?

Devemos viver no mundo visível pensando e interagindo com o mundo invisível. O que o mundo visível nos oferece, enquanto 

estamos num corpo finito? O que o mundo invisível nos oferece, sabendo que meu espírito pertence a ele?

Há um equilíbrio entre o invisível e o visível? O visível é temporal e o invisível é atemporal?  O mundo espiritual vive 

no invisível, o mundo material vive no visível, então onde nosso espírito, que é invisível vive? Entre um mundo e outro. 

O tempo corre contra o mundo visível, no mundo invisível não há cronologia. No mundo visível, parece que o tempo é um bem 

mais precioso. Pois se gastamos tanto tempo trabalhando não sobra pouco tempo para desfrutar do fruto do trabalho, pouco 

tempo para viajar e conhecer lugares, pouco tempo para conversar, pouco tempo para amar, pouco tempo para adorar, 

pouco tempo... Para vivermos no mundo visível é exigido tempo, para vivermos no mundo invisível, não precisamos mais de tempo. 

Como podemos interagir com o mundo invisível? Se não podemos usar o nosso sentido da visão para ver o mundo invisível, 

se não podemos usar o nosso sentido do tato, para sentir o mundo invisível, se não podemos usar o sentido do olfato para 

cheirar o mundo invisível, se não podemos usar o sentido do paladar para degustar algo do mundo invisível e se não podemos 

usar o sentido da audição para ouvirmos os sons do mundo invisível. Mas pensando bem, podemos usar nossos olhos para enxergar

 a expressão do Criador que é do mundo invisível, do qual, usou suas Palavras que foram escritas para as lermos. Assim, também 

podemos usar nossos ouvidos para ouvir sua voz através de suas Palavras lidas, e também podemos usar nossa voz com nossas 

palavras proferidas e projetadas, sonorizadas e direcionadas ao mundo invisível, onde está o Criador que tem o poder de ouvi-las, 

antes mesmo de serem pronunciadas.

O exercício dessa interação recíproca e gradativa nos concede uma oportunidade de reconhecer que a o mundo invisível é mais 

importante que o mundo visível. Mas também o mundo visível tem sua importância no exercício de nossa vida para a eternidade.

 

E que, já agora podemos ter um relacionamento íntimo com nosso Criador. “E a vida eterna é esta: que conheçam a ti, o único

Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. ” (João 17.3).