Um Mês Especial Para Celebrar e Proclamar

Publicado em 24/12/2022 às 17:01 Por Pr. Edson Sobreira (IBRRemanso) Visto por 139

Um nascimento espetacular, um princípio de uma nova vida para o despertar da vida real, a 

glória expressa na simplicidade, um novo tempo de esperança e verdadeira paz, um novo jeito 

de viver no exemplo de humildade e maior amor demonstrados. A humanidade recebeu o maior presente! 

Durante todos os dias do ano, vivemos uma vida de expectativas, tentando atingir nossos objetivos 

que no início do ano planejamos.  Quando chegamos no decimo segundo mês, algo especial acontece 

na correria da nossa existência, estamos terminando mais um ano, pela graça do Senhor. E neste 

mês as pessoas são motivadas para se reunirem e celebrarem. 

Mas celebrar o que e como? Vemos o povo celebrando com festas, com jantares, com enfeites, com 

trocas de presentes, etc. Uma boa parte das famílias estão dispersas, mas se encontram num momento 

de alegria. Pessoas que ao longo do ano não se viam, se encontram novamente.  Assim, esse momento, 

impar, é marcado por uma profunda reflexão. Muitos procuram avaliar como foram suas vidas ao longo 

do ano. Em diversos lugares no mundo a festa brilha com muitas luzes coloridas que procuram representar 

a interação do homem com seus valores. As luzes formam diversos objetos como, presentes, árvores, anjos, 

presépios, a figura de um velhinho, animais, enfim, muitas imagens representando tudo aquilo que que 

foi feito pelo Criador. O ser humano é criativo, é um ser que busca alegria e sente a necessidade de 

estar junto. Durante sua vida fugaz, tenta preencher um vazio existencial, procura responder as indagações 

da vida. Por que nasci, para onde irei depois desta vida? Por que a morte?  

O nascimento é um princípio, é uma dádiva, uma esperança. Quantas pessoas neste mundo já nasceram e 

morreram, quantas estão vivendo agora? O nascimento é o maior milagre que Deus planejou para que Seu nome 

seja glorificado. Mas nos tornamos insensíveis, ao ponto de não valorizar a vida como presente do Criador, 

nem o próprio Criador. Somos orgulhosos, egocêntricos, então, precisamos nascer de novo! Para corrigir nossa 

insensibilidade em relação à vida, o Todo-Poderoso, o Senhor, o Criador de todas as coisas, que nos criou à 

Sua imagem e semelhança, resolveu fazer algo que jamais poderíamos imaginar. Ele mesmo, sendo o Criador de 

todo o universo, se submeteu a nascer como uma frágil criança totalmente dependente, igual a cada criança 

que nasce neste mundo caído, debaixo do sol, todos os dias, desde o princípio. 

No décimo segundo mês de cada ano, somos chamados para refletir neste nascimento. E perguntamos: No que 

aquela criança, que nasceu a mais de dois mil anos atrás, influenciou a humanidade? Pelo menos sabe-se que 

o mundo inteiro confirma que Ele veio, pois Ele dividiu a história do homem em antes e depois dEle. 

Neste mês de dezembro, as pessoas em todo o mundo, precisam lembrar que suas festas são nada mais, nada 

menos do que a celebração da vinda do Salvador, aquele que veio para dar nova vida ao pecador que se arrepende 

e se entrega à Ele.  Independente do mês  em que Ele nasceu, Ele é o nosso Senhor Jesus Cristo. Como verdadeiros 

cristãos, transformados, devemos celebrar e proclamar o nosso Salvador todos os dias ao longo dos doze meses 

do nosso calendário. 

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu. O governo está sobre os seus ombros, e o seu nome será: 

"Maravilhoso Conselheiro", "Deus Forte", "Pai da Eternidade", "Príncipe da Paz". (Isaías 9.6) 

Pense nisso. Feliz Natal!